9 de jun de 2011

Sem Fôlego

Ok. Agora vou correr o mais rápido que eu posso.
Eu fugiria também se tivesse sido ruim. Mas não foi.
Vou sem deixar meu telefone no espelho do banheiro.
Porque se você não me ligasse amanhã eu poderia achar que foi uma bosta.
E se você ligasse eu teria a certeza de que deu merda.
Posso conviver com a dúvida, mas ainda não agüento uma nova perda.
Por isso abro mão da possibilidade assim que a vejo no horizonte.
Abandono meus instintos, sufoco desejos e sigo correndo de mim mesma.
Porque não sei lidar com o amor. E porque me contaram que ele acontece exatamente assim, num descuido, numa esquina, numa cama de amigo.