23 de mai de 2017

Quero inteiro, não pela metade



Você não é minha prioridade, nem eu a sua.
Começamos mal, mas deixamos as circunstâncias nos levar.
Não sei nada de tecnologia e você não sabia quem era Woody Allen.
Mas tentávamos nos encontrar em assuntos comuns, viagens, esporte, família.
Tentei me afastar, te achei desinteressado, você se disse apenas avoado.
Deu saudade e voltamos, o tempo foi passando leve, tinha a paixão pra segurar.
Se dava 80% certo, bora empurrar os outros 20 pra debaixo do tapete.
Fingir que não aconteceu a briga, para acordar de boa no dia seguinte.
Eu disse que não ia cuidar de você, mas é da minha natureza.
Você mostrou que estava se esforçando porque não era da sua natureza.
Foi um 2016 bacana. Para dias de folga, namorado, eu brincava.
Nos dias mais puxados não estávamos juntos pra não desgastar.
Pavios curtos. Gênios fortes. Namoro meio adolescente.
Era frágil e eu sabia, mas você achava que eu tava sendo pessimista.
Se me conhecesse bem, saberia o quanto sou otimista.
I love you, but not all the time. E parecia suficiente pra nós dois.
Mas você precisou de uma brecha pequena pra voar.
E eu precisei saber disso de um jeito Almodovar, como sempre.
Avoado ou desinteressado, acabou ali. Pra mim, um final analógico como você.
Diálogos intermináveis e nunca ditos, na minha cabeça de humanas.
Textos que você não entende, mesmo lendo devagar. Ok seu como resposta.
Tô velha pra grandes ilusões, mas a surpresa foi sair machucada.
Devia ter desconfiado de que meio amor nunca é suficiente.